segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Morte

Já foi uma flor cheia de cor. Depois, vítima do tempo que teima em não deixar de passar, secou. A beleza de então desapareceu e agora teima em relembrar-nos a finitude das coisas belas.

6 comentários:

Pedrasnuas disse...

TAL COMO NÓS...PERDEMOS A BELEZA E COM ELA A JUVENTUDE, PERDEMOS FORÇA,A VITALIDADE E AOS POUCOS FICAMOS ENCARQUILHADOS,ENCOLHIDOS,MURCHOS,
SECOS ...ATÉ QUE CHEGA A FATÍDICA HORA ...EM QUE TOMBAMOS COMO AS FLORES ...O CICLO COMPLETOU-SE...

É A VIDA...

ABRAÇO

Lilá(s) disse...

Mas, até morta tem beleza!

Bean Fely disse...

nada a fazer, quando não há contrariedades e tudo segue o seu rumo normal, à que aceitar, tanto a velhice como o fim, e reconhecer tudo de bom que têm as fases de vida de qualquer ser ..... foto magnifica

Sônia Brandão disse...

As flores nos lembram que a beleza é efêmera.

bjs

Justine disse...

Continua a ser bela, só que de diferente beleza...

al disse...

Pedras Nuas, é verdade, embora tenha sido dito de uma forma muito abrupta. Para quem acredita em algo mais pode ser apenas o início de um novo ciclo. Beijos.

Lilás, pois tem. Uma beleza diferente, mas algo, continua lá. Beijos.

Bean Felly, daí a importância de aproveitar a vida e aquilo que ela nops vai oferecendo. Um abraço.

Sónia Brandão, pois é. E não vale a pena angustiarmo-nos perante isso.
Beijos

Justine, concordo. Beijos